Desenvolvimento da Primeira Infância

Desenvolvimento da Primeira Infância (DPI) é o período de desenvolvimento rápido e crítico – da conceção até os 8 anos de idade de uma criança. Assegurar o acesso a cuidados de qualidade durante este período – desde nutrição adequada, cuidados de saúde, proteção, cuidados responsivos e aprendizagem precoce  – é vital para o desenvolvimento físico, cognitivo, linguístico e socioemocional da criança.

A nível global, milhões de crianças estão a perder os benefícios que o DPI de qualidade pode trazer. Estima-se que 250 milhões de crianças (43%) com menos de 5 anos que se encontram em países de baixo e médio rendimento estão em risco de não alcançarem o seu potencial de desenvolvimento devido à pobreza extrema e ao atraso de crescimento. Para crianças que crescem em contextos de crise – incluindo cerca de 87 milhões de crianças com menos de 7 anos de idade que passaram toda a sua vida em zonas de conflito – o risco é ainda maior.

Em situações humanitárias, múltiplas adversidades ameaçam a capacidade das crianças florescerem e atingirem o seu pleno potencial. Estas incluem o aumento do risco de separação dos pais ou cuidadoras/es primárias/os, lesões físicas, perda da estabilidade e conforto do lar e da comunidade, bem como experienciar ou testemunhar violência. Além disso, as experiências de conflito e crise podem privar as crianças pequenas de cuidados estáveis, responsivos e nutritivos de que necessitam. As experiências de estresse extremo durante os primeiros anos críticos de vida podem ter impactos negativos a longo prazo na aprendizagem, no comportamento e na saúde da criança. A exposição a circunstâncias desafiadoras repetidas ou prolongadas pode resultar em “estresse tóxico”, o que pode impactar o desenvolvimento cerebral, limitando a capacidade cognitiva e causando impactos profundos e duradouros.

A participação em oportunidades de aprendizagem precoce de qualidade (também conhecidas como educação pré-escolar / educação pré-primária / educação infantil) traz benefícios significativos e duradouros às crianças. No entanto, para milhões de crianças que crescem em países de baixo rendimento e em contextos de crise, o acesso a oportunidades precoces de aprendizagem permanece fora do seu alcance. O UNICEF estima que apenas metade das crianças no mundo têm acesso à educação pré-escolar e as oportunidades são severamente limitadas nos países afetados por conflitos.

Por que o DPI é importante, especialmente em situações de emergência?

  1. O DPI permite assegurar serviços essenciais durante um período único de desenvolvimento cerebral nas crianças:
    Aproximadamente 90% do crescimento do cérebro ocorre nos primeiros 5 anos de vida e cerca de 80% desse crescimento ocorre nos primeiros 2 anos de vida. Pesquisas indicam que crianças privadas de cuidados responsivos e que não têm oportunidades para brincar, se comunicar e explorar o ambiente têm cérebros menores e menos ligações neurais.

  2. O DPI permite assegurar o acesso a serviços de saúde e nutrição: Quando incluído em programas de resposta a situações de emergência, o DPI pode salvar vidas, assegurando o acesso a nutrição e cuidados de saúde adequados diretamente às crianças. Pode também salvar vidas, na medida em que melhorar a compreensão dos pais/mães e das cuidadoras e dos cuidadores primários em torno de uma nutrição adequada e de doenças evitáveis. Para além de alimentos nutritivos e de apoio à saúde adequados, crianças pequenas precisam de estimulação cognitiva. A conceção de programas de DPI em situações de emergência permite assegurar a estimulação cognitiva juntamente com a nutrição e o apoio à saúde.

  3. Os programas de DPI ajudam a proteger as crianças de dano: Crianças pequenas em situações de emergência encontram-se, frequentemente, em situações precárias, onde podem não receber cuidados e proteção suficientes contra danos físicos e emocionais. Os programas de DPI em situações de emergência podem oferecer apoio para que os pais e as/os principais cuidadoras/es possam cuidar e proteger física e emocionalmente as crianças e garantir sua sobrevivência.

  4. O DPI ajuda a mitigar o estresse tóxico que pode resultar em danos permanentes a longo prazo: O efeito desestabilizador de situações de emergência pode diminuir a capacidade da criança de lutar contra os efeitos acumulados do estresse. Quando o estresse se acumula, ele pode se tornar tóxico. Foi demonstrado que o estresse tóxico altera a composição química de uma pessoa, afetando não apenas o corpo, mas também o cérebro. Programas de DPI em situações de emergência podem atenuar os efeitos deletérios do estresse.

  5. O DPI disponibiliza oportunidades de aprendizagem precoce que apoiam uma melhor aprendizagem e melhores oportunidades de vida na vida adulta: Há fortes evidências de que a participação na educação pré-escolar estabelece bases sólidas para a aprendizagem futura e as oportunidades de vida, sobretudo por meio da promoção do desenvolvimento cognitivo e emocional. Isso é particularmente importante para as crianças mais marginalizadas e é fundamental para enfrentar os desafios de equidade e qualidade necessários para atingir o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 4 (ODS4).

  6. O DPI é economicamente eficiente e benéfico para a sociedade: Investir no desenvolvimento da primeira infância é uma forma economicamente eficiente de impulsionar a prosperidade partilhada, promover o crescimento económico inclusivo, expandir a igualdade de oportunidades e acabar com a pobreza extrema. Estudos longitudinais descobriram que pessoas que participaram em programas de pré-escolar têm mais probabilidade de iniciar a escola a tempo, menos probabilidade de abandonar a escola, mais probabilidade de concluir a educação secundária e obter um emprego na vida adulta, além de ter menos probabilidade de cometer crimes e acabar presas/os.

  7. Os programas de DPI promovem a paz, a redução do risco de desastres, e a proteção ambiental: Os programas de DPI em situações de emergência podem integrar conceitos de paz, tolerância, redução do risco de desastres, proteção ambiental, e outros através de atividades baseadas na brincadeira, tornando mais provável que as crianças levem estas experiências e perspetivas com elas para a idade adulta.


Esta coleção foi desenvolvida com o apoio de Maria Benavides, Coordenadora de Desenvolvimento da Primeira Infância da INEE.

1 Janeiro 2018 Ferramentas International Federation of Red Cross and Red Crescent Societies (IFRC), World Vision

Toolkit for Child Friendly Spaces in Humanitarian Settings

The toolkit provides a set of materials to assist managers and facilitators/animators in setting up and implementing quality CFS. These resources have at their core the protection of children from harm; the promotion of psychosocial well-being; and the engagement of community and caregiver capacities.

29 Outubro 2021 Report Early Childhood Development Action Network (ECDAN)

Ending Corporal Punishment in the Early Years of Childhood: An essential right and need of every young child

Corporal punishment is the most common form of violence against children and most likely to be experienced in early life, causing injury and death to thousands of young children every year, as well as numerous other impacts to physical and mental health, relationships, and lifelong wellbeing.

16 Dezembro 2019 Project Brief
Moving Minds Alliance

Supporting the Youngest Refugees and Their Families

Early life experiences shape the architecture of the brain and lay the foundation for later development. The very youngest refugees† face compounding risks that threaten their long-term development and wellbeing. Still, the multi-dimensional needs of displaced infants, toddlers and those who care for them remain overlooked and underfunded.

1 Setembro 2020 Report Theirworld

Protecting Children in Armed Conflict

This document summarises the findings of the report Protecting Children in Armed Conflict, led by Shaheed Fatima QC (published in 2018 by Hart/ Bloomsbury), and produced for the Inquiry on Protecting Children in Conflict, chaired by Gordon Brown. Theirworld, Save the Children Fund and the Global Health Academy at the University of Edinburgh have supported the work of the Inquiry. 

28 Maio 2021 Policy Brief United Nations Educational, Scientific and Cultural Organziation (UNESCO)

Inclusion in early childhood care and education: Brief on inclusion in education

Inclusion in education must start in the early years when the foundation for lifelong learning is built and fundamental values and attitudes  are  formed. Inequality in learning and development emerges during early childhood, before children begin primary school. Beginning to address inclusion when children begin primary school is simply too late.

28 Outubro 2021 Report
Bernard Van Leer Foundation

Early Childhood Matters: Caring for children and the planet

This edition of Early Childhood Matters is dedicated to examining the many ways that climate change and early childhood intersect. In 34 articles, we hear from leading policymakers, researchers, educators, urban planners and activists from around the world, about how to both develop ecological resilience and improve well-being in the early years.