[LANÇAMENTO] Relatório do 20.º aniversário da INEE

Publicado por
Rede Interinstitucional para a Educação em situações de Emergência (INEE)
Publicado
Tópico(s)
Agendas Globais - ODS, Educação 2030, etc.
Financiamento da Educação
Conflito
Fora da Escola
Português

Refletindo sobre os 20 anos desde a fundação da INEE, em novembro de 2000, há muitos motivos de orgulho. No entanto, as celebrações das nossas conquistas estão também marcadas pela tristeza, numa altura em que uma situação de emergência, a pandemia global, afeta a educação de crianças e jovens em quase todos os países do mundo.   

20 Years of INEE report cover image_PT
Clique para ler o relatório

No nosso relatório: "20 Anos da INEE: Conquistas e Desafios da Educação em Situações de Emergência" (disponível em inglês, francês, espanhol, português, árabe),  destacamos a contínua relevância  da rede ao longo de duas décadas. O relatório apresenta novos dados que mostram que 127 milhões de crianças e jovens em idade escolar correspondente ao ensino básico e secundário, que vivem em países afetados por crises, estavam fora da escola em 2019. Isto equivale a quase metade da população mundial fora da escola, embora apenas cerca de 29% de crianças e jovens desta faixa etária, a nível mundial, vivam em países afetados por crises. Estes números baseiam-se em dados disponibilizados pelo Instituto de Estatística da UNESCO (UIS).   

O relatório demonstra ainda a necessidade ainda urgente de priorizar a educação e o seu financiamento em situações de emergência, particularmente no caso das chamadas crises "esquecidas".

Alguns dos principais marcos quer para a INEE, quer para o setor da EeE, apresentados no mesmo relatório, incluem:

  • Os Requisitos Mínimos para a Educação: Preparação, Resposta e Reconstrução, da INEE, lançados em 2004, estabelecem requisitos globais para melhorar a qualidade e assegurar o acesso a uma educação segura e relevante. Atualizados em 2010, tornaram-se uma referência-chave no campo da EeE.    
  • O Cluster Global da Educação foi estabelecido em 2006 como parte da arquitetura humanitária para promover a coordenação da educação nas respostas humanitárias, assinalando um ponto de viragem fundamental para a prestação de serviços de educação durante as crises.

Alguns dos desafios-chave que permanecem para o setor de EeE incluem:

  • 127 milhões de crianças e jovens em idade escolar correspondente ao ensino básico e secundário, em contextos afetados por crises, permanecem fora da escola, privados do seu direito a uma educação de qualidade. 
127 million infographic

 

  • Todos os anos, milhões de pessoas são ainda obrigadas a deslocarem-se devido a conflitos e catástrofes, atingindo em 2019, um total de 79,5 milhões de pessoas forçadas a deslocarem-se. Crianças e jovens deslocados internamente e refugiados continuam a enfrentar barreiras significativas para aceder e concluir uma educação segura e de qualidade.
  • O setor da educação continua a receber muito menos do que a meta da ONU para 2012, correspondente a 4% da assistência humanitária global. Embora o volume do financiamento de assistência humanitária alocado à educação tenha aumentado significativamente desde 2012, só menos de metade dos pedidos para o setor é que são efetivamente financiados. Em 2019, apenas 43% dos pedidos de apoio para o setor da educação foram financiados, em comparação com 66% do total das candidaturas no âmbito da assistência humanitária.
  • O financiamento humanitário alocado à educação é assimétrico, resultando, em muitos casos, em crises "esquecidas". Do financiamento atribuído a 424 candidaturas a apoio dos mecanismos de financiamento da assistência humanitária no sector de educação, metade foi alocado a apenas 29 programas e projetos. Aqueles que recebem financiamento são frequentemente aqueles com maior visibilidade nos meios de comunicação social e aqueles vistos como tendo importância geopolítica, como a Síria. Os países na região de África Subsaariana afetados por crises são aqueles com maior probabilidade de serem deixados de fora.
  • A comunidade global está a enfrentar novos e contínuos desafios. As alterações climáticas estão a exacerbar o número e a intensidade dos desastres naturais, e a COVID-19 está a afetar negativamente o acesso de crianças e jovens à educação em todo o mundo.


Encorajamos-vos a ler o relatório na íntegra e a juntarem-se aos nossos esforços contínuos e coletivos para cumprir a nossa missão de assegurar a educação de qualidade, segura e relevante para todas as pessoas afetadas por situações de emergência.