Alimentação e Nutrição

Topic(s)
Alimentação e Nutrição
Inglês
Francês
Espanhol
Árabe
Português
Russo
Mandarim
Japonês
Italiano
Bahasa Indónésio

O que é malnutrição?

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define malnutrição como um desequilíbrio na ingestão de energia ou nutrientes de uma pessoa. Este desequilíbrio resulta em duas condições: a subnutrição, na qual  se tem deficiências ou insuficiências de micronutrientes, ou a obesidade, a qual resulta do consumo de nutrientes em excesso. A malnutrição, em todas as suas formas, inclui a subnutrição (definhamento, deficiência de crescimento, baixo peso), vitaminas ou minerais inadequados, excesso de peso, obesidade e doenças resultantes da dieta e não transmissíveis. A malnutrição afeta pessoas em todos os países e tem efeitos profundos e a longo prazo na saúde e nas suas perspetivas de vida. Da mesma forma, é responsável por mais problemas de saúde do que qualquer outra causa e é um problema social e económico que trava o desenvolvimento em todo o mundo.

Apesar do progresso significativo nas últimas décadas, a má nutrição continua a ser um grande problema universal, sendo que uma em cada três pessoas no mundo são afetadas por alguma forma de malnutrição. Perto de uma em cada quatro crianças, ou uma estimativa de 150,8 milhões de crianças com menos de 5 anos são raquíticas (baixa altura para a sua idade), 50,5 milhões sofrem com as consequências de baixo peso (tendo em conta a sua idade) e estima-se que 20 milhões de recém-nascidos têm baixo peso à nascença. Enquanto isso, o número de crianças com excesso de peso no mundo permaneceu estagnado por mais de uma década, com aproximadamente 38,3 milhões de crianças menores de cinco anos a apresentarem excesso de peso em 2018.

 

De que forma pode uma correta nutrição melhorar a aprendizagem nas escolas?

NRC
© NRC

A prevenção da malnutrição é a forma mais eficaz de obter resultados duradouros. Por um lado, o período de tempo entre o primeiro dia de conceção e os dois anos de idade é o momento mais importante para a prevenção, visto que a alimentação e os cuidados da mãe e da criança têm o impacto mais profundo na capacidade da criança de crescer, aprender e prosperar.  Por outro lado, os danos causados durante este curto espaço de tempo podem causar atrasos de crescimento e podem ter efeitos cognitivos irreversíveis, limitando grandemente o potencial de aprendizagem de uma criança quando ela entra na escola. É importante ter em conta que as crianças são um indicador indireto sobre a gravidade de uma crise, o seu nível de bem-estar reflecte a gravidade do seu estado de saúde e nutricional, bem como o estado de saúde das suas mães.

A melhoria do estado nutricional das crianças em idade escolar é um investimento eficaz para melhorar os seus resultados educativos. Estudos mostram que o fornecimento de refeições na escola e a distribuição de alimentos para levar para casa, através de programas de alimentação escolar alivia a fome a curto prazo, aumenta a capacidade das crianças se concentrarem, aprenderem e realizarem tarefas específicas, além de aumentar a taxa de matrícula de meninas, adolescentes e jovens raparigas. Comprovadamente, os programas de alimentação escolar atraem mais crianças para as salas de aula e constituem-se como uma medida de apoio social que ajuda a manter as crianças na escola, especialmente em áreas de baixo rendimento e altamente inseguras do ponto de vista alimentar. De facto, 45 estudos de programas de merenda escolar mostraram que as crianças que recebem refeições escolares durante todo o ano letivo frequentam a escola mais 4 a 7 dias do que as crianças cujas escolas não têm merenda escolar. Esses estudos também ajudam a melhorar a nutrição, uma vez que as refeições escolares , bem como as refeições leves reduzem consistentemente a prevalência de anemia e melhoram o estado de micronutrientes. A educação alimentar e nutricional baseada na escola expande-se para além da sala de aula, envolvendo a família das crianças e a comunidade em geral. Quando as escolas oferecem oportunidades para promover padrões dietéticos e de atividade física saudáveis para as crianças, isso incentiva a prevenção da malnutrição infantil, e é demonstrado que tem efeitos positivos sobre a saúde dos irmãs e irmãos mais novos dos alunos e alunas.

 

Alimentação, Nutrição e Emergências

Mae Sot
© Mae Sot, IRC

No entanto, os conflitos e as catástrofes naturais estão a agravar este problema. As alterações climáticas, a degradação ambiental e os riscos naturais estão a afetar de forma desproporcionada as comunidades vulneráveis e os conflitos violentos ameaçam a vida de milhões de crianças e das suas famílias. As situações de emergência são frequentemente caracterizadas pelo acesso limitado a alimentos e água seguros e adequados, bem como por perturbações nos serviços de saúde e nutrição. Nesses casos, a assistência alimentar é essencial para salvar vidas, e fornecer a nutrição certa no momento certo também pode ajudar a mudar vidas na medida em que compreender as necessidades nutricionais das pessoas a longo prazo. Ao assegurar a continuidade entre a resposta de emergência de curto prazo à assistência a longo prazo, as organizações abordam a raiz da insegurança alimentar e da ajuda para quebrar o ciclo da pobreza.

A fome e a malnutrição são preocupações fundamentais para as pessoas refugiadas e as populações deslocadas, muitas das quais sofrem de uma ou mais formas de malnutrição. Dos 815 milhões de pessoas malnutridas no mundo, 489 milhões vivem em países afetados pela fragilidade, conflitos e violência. Além disso, 122 milhões dos 155 milhões de crianças com atrasos de crescimento no mundo residem em países afetados por conflitos. Para muitas crianças refugiadas em todo o mundo, a sala de aula tornou-se um dos poucos lugares onde elas se podem sentir normais e seguras. Durante as crises, a alimentação escolar responde com sucesso às necessidades nutricionais básicas enquanto as crianças voltam à sala de aula. No Egito, Jordânia e Líbano, os programas de alimentação escolar estão a ajudar a melhorar a nutrição de crianças refugiadas sírias e a incentivar os pais a enviá-las regularmente à escola. As refeições incluem fruta fresca, refeições leves cozinhadas localmente e uma caixa de sumo ou leite, fornecendo-lhes a energia de que precisam para aprender, e ensinando-lhes os princípios básicos de uma boa nutrição e a importância de refeições equilibradas

Principais dados estatísticos

  • 821 milhões de pessoas - aproximadamente 1 em cada 9 pessoas no mundo - estavam subnutridas em 2017. (fonte)
  • 149 milhões, mais de 1 em cada 5 crianças menores de 5 anos, estavam raquíticas em 2018. Globalmente, 49 milhões de crianças menores de 5 anos foram afetadas pelo definhamento, e 40 milhões tinham excesso de peso em 2018.  (fonte)
  • Dos 815 milhões de pessoas subnutridas no mundo, 489 milhões vivem em países afetados pela fragilidade, conflitos e violência. (fonte)
  • 122 milhões dos 155 milhões de crianças com problemas de crescimento no mundo, residem em países afetados por conflitos. (fonte)
  • A desnutrição está associada a cerca de 45% das mortes entre crianças menores de cinco anos, principalmente em países de rendimentos baixo e médio. (fonte)
  • A malnutrição, em todas as suas formas, custa à sociedade até 3,5 trilhões de dólares americanos por ano, com o excesso de peso e a obesidade sozinhos custando 500 bilhões de dólares americanos por ano. (fonte)
  • Os programas de alimentação escolar podem levar as crianças à escola e ajudá-las a permanecer lá. Estudos têm demonstrado que os programas podem aumentar as matrículas numa média de 9%. (fonte)
  • Pelo menos 368 milhões de crianças das escolas pré-primária, primária e secundária recebem alimentos em todo o mundo. Atualmente, a Índia alimenta mais de 100 milhões de crianças; o Brasil 48 milhões; a China 44 milhões; e a África do Sul e a Nigéria alimentam mais de 9 milhões dos seus filhos e filhas. Em todos esses países, mais de metade das crianças que são alimentadas são meninas. (fonte)


Esta coleção foi desenvolvida com o apoio de Aysha Joan Liagamula Kayegeri, especialista da Common Wealth.

Report

2019 The State of Food Security and Nutrition in the World

Publicado por
United Nations Children's Fund (UNICEF)
World Food Programme (WFP)
World Health Organization (WHO)
,
Food and Agriculture Organization of the United Nations (FAO), International Fund for Agricultural Development (IFAD)

This report presents the latest estimates on food insecurity, hunger and malnutrition at the global and regional levels. It also presents an in-depth analysis of the impacts of economic slowdowns and downturns on food security and nutrition. 

English
Report

2018 Global Nutrition Report

Publicado por
Development Initiatives

This report collates existing data, presents new innovations in data and conducts novel data analysis in order to shine a light on the steps needed to end malnutrition in all its forms by 2030. It casts a light on where progress has been made and identifies where major problems still lie – and thus where actions are needed to consolidate progress and fill major gaps.

English
Report

Schools as a System to Improve Nutrition

Publicado por
United Nations System Standing Committee on Nutrition (UNSCN)

This discussion paper shows that schools offer a unique opportunity to improve nutrition.Looking at schools as a food system to improve nutrition offers insights into what interventions to implement and combine to ensure the best possible nutrition outcomes for children in schools, their families and their communities, both now and in future.

English
Spanish
French
Arabic
Russian
Chinese (Mandarin)
White Paper

Stepping up school-based food and nutrition education

Publicado por
Food and Agriculture Organization of the United Nations (FAO) and United Arab Emirates University

This paper is a product of the international expert consultation “Stepping up School-based Food and Nutrition Education: Exploring Challenges, Finding Solutions and Building Partnerships,” developed by FAO in collaboration with the UAEU to develop a shared vision of effective school-based food and nutrition education (SFNE) and its future in low and middle-income countries

English
Book/eBook

Global School Feeding Sourcebook: Lessons from 14 Countries

Publicado por
World Bank
World Food Programme (WFP)
,
The Partnership for Child Development (PCD)

This Sourcebook is the third analysis of school feeding programs by the World Bank, PCD and WFP. It analyses case studies in fourteen different countries in order to describe the immense diversity of approaches that are used by national programs, and understand the strengths and challenges of implementing national programs at scale.

English
Manual/Handbook/Guide

Home-Grown School Feeding Resource Framework

Publicado por
World Food Programme (WFP)
,
Food and Agriculture Organization (FAO)

This resource framework is intended as a guidance tool for the design, implementation and monitoring of home-grown school feeding programmes. It aims to exploit the potential of school feeding in alleviating rural poverty by supporting the development of home-grown school feeding (HGSF). 

English
Outro

Pesquisa Global 2019 sobre Programas de Alimentação Escolar

Publicado por
Outro
,
Fundação Global para a Nutrição Infantil (GCNF)

A Pesquisa Global sobre Programas de Alimentação Escolar, realizada pela Fundação Global para a Nutrição Infantil (GCNF), será realizada a cada dois ou três anos, a partir de 2019. A pesquisa de 2019 será usada para desenvolver uma base de dados inicial sobre o estado atual dos programas de alimentação escolar a nível global (incluindo países com nenhuma atividade de alimentação escolar).

Inglês
Espanhol
Francês
Português
Russo
Mandarim
Árabe
Report

Research on Food Assistance For Nutritional Impact Synthesis Report

Publicado por
Concern Worldwide
,
Action Against Hunger, ENN, UCL

In a comprehensive literature review published in March 2015, the REFANI consortium partners identified what was currently known about the nutritional impact of cash transfer programmes (CTPs) in food assistance and nutrition programming, as well as the gaps that remain in the existing evidence base.

English
Manual/Handbook/Guide

Guidelines for Implementing Interagency Health and Nutrition Evaluations in Humanitarian Crises

Publicado por
United Nations High Commissioner for Refugees (UNHCR)

These evaluations examine the impact of health and nutrition interventions on populations affected by a humanitarian crisis. They aim to improve the performance of the health and nutrition sector by identifying gaps and overlaps in programming, and to decrease threats to the lives and health of affected populations.

English
Book/eBook

The Management of Nutrition in Major Emergencies

Publicado por
International Federation of Red Cross and Red Crescent Societies (IFRC)
United Nations High Commissioner for Refugees (UNHCR)
World Food Programme (WFP)
World Health Organization (WHO)

This manual aims to improve understanding of the nutritional implications of an emergency situation and of the need to include nutrition in plans for emergency preparedness. It defines the nutritional needs of the individuals in emergency situations and offers an overview of the major nutritional deficiency diseases and micronutrient deficiencies likely to be encountered.

English
Manual/Handbook/Guide

UNHCR Nutrition in Camps

Publicado por
United Nations High Commissioner for Refugees (UNHCR)

Food security and nutrition interventions in camps aim to improve the immediate food security and nutritional well-being of refugees, mainly by tackling the immediate and underlying causes of malnutrition. This guideline provides instruction on nutrition provision in camps. 

English
Website

Maternal, Infant and Young Child Nutrition

Publicado por
Save the Children

This resource centre includes reports, articles and documents from Save the Children's maternal, infant and young child nutrition programs. 

English
Manual/Handbook/Guide

Guidelines for Selective Feeding: The Management of Malnutrition in Emergencies

Publicado por
United Nations High Commissioner for Refugees (UNHCR)
World Food Programme (WFP)

This revised version is intended as a practical guide to design, implement, monitor and evaluate selective feeding programmes in emergency situations, namely to answer the following key questions:

  • Which type and combination of selective feeding programmes are required?
  • How should each be implemented?
English
Manual/Handbook/Guide

Operational Guidance on Infant Feeding in Emergencies (OG-IFE) Version 3

Publicado por
IFE Core Group

The OG-IFE aims to provide concise, practical guidance on how to ensure appropriate infant and young child feeding in emergencies. It applies to emergency preparedness, response and recovery worldwide to minimise infant and young child morbidity and/or mortality risks associated with feeding practices and to maximise child nutrition, health and development.

English
French
Spanish
Italian
Japanese
Bahasa Indonesia
Manual/Handbook/Guide

Updates on the Management of Severe Acute Malnutrition in Infants and Children

Publicado por
World Health Organization (WHO)

This guideline presents the updated evidence and practice for key interventions and will also serve to inform revisions of the manual. It provides global, evidence-informed recommendations on a number of specific issues related to the management of severe acute malnutrition in infants and children. 

English
Advocacy Statement

Child Growth Standards and the Identification of Severe Acute Malnutrition in Infants and Children

Publicado por
United Nations Children's Fund (UNICEF)
World Health Organization (WHO)

This statement presents the recommended cut-offs, summarizes the rationale for their adoption and advocates for their harmonized application in the identification of 6–60 month old infants and children for the management of severe acute malnutrition (SAM). It also reviews the implications on patient load, on discharge criteria and on programme planning and monitoring.

English
Project Brief

Weekly Iron Folate Supplement Program

Publicado por
US Agency for International Development (USAID)

Iron deficiency and iron deficiency anemia in adolescence is a major public health issue in Afghanistan, where the prevalence of anemia is among the highest in the world. The Afghan National Nutrition Survey (2013) findings indicate that anemia exists in all age groups and is particularly high among adolescent girls.

English
Journal Article

Vitamin A Supplementation: Who, When and How

Publicado por
Community Eye Health

This article provides guidelines for vitamin A supplementation in children and women and discusses when it is safe to phase out supplementation. 

English