Princípios de orientação para evidências de EeE: Compromissos e práticas do Fundo de Pesquisa E-Cubed

Publicado
Tema(s):
Investigação e Evidências
Inglês

Fundo de Pesquisa E-Cubed visa reforçar a base de evidências para a Educação em Situações de Emergência (EeE), apoiando a elaboração de investigação contextualmente relevante e útil, e disseminando bens públicos globais. Um bem público global é um recurso que está disponível gratuitamente, sem restrições de acesso. A Dubai Cares associou-se à INEE em 2017 para projetar e gerir o enquadramento desta investigação. A INEE coordena os processos de submissão e revisão de propostas, enquanto a Dubai Cares toma as decisões finais de financiamento.

O E-Cubed encerra o seu quinto ano e a INEE e a Dubai Cares identificaram três princípios de orientação da contribuição do E-Cubed para a base de evidências da EeE. Estes princípios reforçam-se mutuamente e demonstram o compromisso do E-Cubed na construção de uma base de evidências equitativa.


Princípio 1: As lacunas nas evidências em contextos afetados por crises são melhor identificadas por aqueles que estão trabalhando nesses locais

Effective EiE Partnerships Venn DiagramGrande parte da atual investigação da EeE é de âmbito programático e impulsionada pela influência de doadores e instituições do Hemisfério Norte. Isso ocorre apesar do facto de as comunidades e investigadoras/es afetados por crises terem um melhor entendimento dos temas e tipos de evidências que são necessários para responder a crises particulares. A identificação de questões de investigação, conceção, implementação e divulgação deve ser conduzida ou levada a cabo em parcerias significativas e equitativas com pessoas e instituições em contextos afetados por crises. As parcerias de investigação significativas e equitativas dão prioridade à perspetiva e ao trabalho dos investigadores locais em cada fase do processo de investigação, através de uma mudança de paradigma que se alinha com os princípios base de orientação de parcerias eficazes delineados por Menashy & Zakharia em um estudo financiado pelo E-Cubed.

Os cinco princípios de orientação de parcerias eficazes são: (1) Cuidados: Passar do “salvadorismo” para o cuidado; (2) Confiança e respeito: Passar de uma cultura de monitorização e resultados para uma cultura de confiança e respeito; (3) Comunicação contínua e orgânica: Passar do foco na coordenação para a comunicação; (4) Aprendizagem mútua e partilha multidirecional de conhecimentos: Passar do desenvolvimento de capacidades para a aprendizagem mútua; e (5) Autorreflexão e questionamento das dinâmicas de poder: Passar de desequilíbrios de poder para a autorreflexão através de sensibilização e questionamento.

Princípio 1 em ação: Entre 2017 e 2020, o número de propostas de instituições nacionais e de parcerias combinadas para o E-Cubed constituiu 75% dos candidatos e os dois projetos financiados em 2020 são parcerias combinadas. O E-Cubed continua empenhado em financiar projetos conduzidos por, ou em parceria significativa com, pessoas afetadas pela crise. Além disso, o Dubai Cares realizou uma pesquisa global com as e os membros da INEE, em 2020, para entender as lacunas nas respostas relativas à COVID-19 de inúmeras partes interessadas. Isto alinha-se com o processo de consultas regionais da INEE para desenvolver o seu plano de aprendizagem. Assim, o E-Cubed não identifica focos geográficos ou temáticos específicos nos seus convites à apresentação de propostas, acreditando que aqueles que trabalham perto de contextos de investigação estão melhor posicionados para propor prioridades de investigação relevantes.


Princípio 2: As vozes dos agentes locais no contexto da investigação devem estar no centro do processo de investigação

Os dados e as provas devem ser recolhidos, armazenados, utilizados e divulgados de forma ética e responsável. Cada passo do processo de investigação deve cumprir os princípios de “Não causar danos” e respeitar a dignidade e o arbítrio das e dos participantes. A produção de evidências deve ter em conta e ser sensível às dinâmicas de poder existentes. O bem-estar e a segurança das e dos participantes devem preceder qualquer potencial inovação metodológica ou programática. 

Princípio 2 em ação: O E-Cubed exige que todas as propostas demonstrem uma consideração significativa das dimensões éticas e culturais na condução da investigação em contextos afetados pela crise, incluindo as formas por meio das quais vozes das pessoas e das instituições destes contextos são elevadas através do trabalho proposto. Ao avaliar as propostas, a INEE e a Dubai Cares consideram fortemente os planos de um candidato para mitigar riscos potenciais, juntamente com os respetivos protocolos de revisão ética.

Embora grande parte da base de evidências de EeE existente esteja em inglês, o conhecimento está presente em todas as línguas e culturas. As evidências devem, portanto, ser multilíngues tanto na produção como na divulgação. Evidências em qualquer língua são valorizadas da mesma forma que as escritas em idiomas mais conhecidos. Independentemente da língua em que a evidência é apresentada, temos de considerar a língua e a tradução ao longo do processo de investigação. Ao considerarmos a aceitação e utilização de provas, devemos considerar a linguagem das pessoas a quem se destinam as evidências. A INEE e a Dubai Cares desafiam noções tradicionais de rigor para reconhecer o valor da investigação produzida em todas as línguas.

Princípio 2 em ação: O E-Cubed aceita propostas nas cinco línguas de trabalho da INEE (árabe, inglês, francês, português e espanhol) e encoraja as e os pesquisadores a candidatarem-se na língua que considerem mais relevante e com a qual se sintam mais confortáveis. Além disso, os resultados da pesquisa E-Cubed geralmente são produzidos na língua mais relevante para as e os prováveis utilizadores finais dos produtos de conhecimento. A INEE e a Dubai Cares continuam empenhados em financiar projetos em várias línguas e a assegurar que a tradução não seja uma consideração posterior.

As evidências incluem múltiplas formas e metodologias, incluindo, mas não se limitando a: ensaios aleatórios controlados, estudos de caso qualitativos e experiências vividas das populações afetadas. Não existe uma metodologia perfeita para conduzir uma investigação rigorosa. A Dubai Cares e a INEE desafiam os critérios tradicionais de rigor como sendo altamente qualitativos. Em contrapartida, a INEE e a Dubai Cares reconhecem que as evidências significativas, úteis e relevantes surgem de inúmeras fontes sob diversas formas. 

Princípio 2 em ação: Os projetos financiados pelo E-Cubed abrangem várias metodologias, incluindo ensaios aleatórios controlados, estudos de caso e análise de redes sociais. Muitos projetos financiados pelo E-Cubed utilizam metodologias participativas e colaboram com pesquisadoras/es da área da investigação para reforçar a qualidade, a relevância e a sustentabilidade da pesquisa, trabalhando com as populações afetadas e as ouvindo. O E-Cubed acredita que o envolvimento significativo com indivíduos do contexto local encoraja a aceitação dos bens públicos globais produzidos. A INEE e a Dubai Cares estão empenhadas em apoiar os métodos de investigação mais adequados ao contexto e às e aos possíveis utilizadores do conhecimento. 


Princípio 3: Evidências e conhecimentos são bens públicos globais

Os bens públicos globais são recursos que estão disponíveis gratuitamente sem restrição de acesso. O acesso às investigações e às evidências não deve ser mediado por assinaturas nem por pagamento. Todos os produtos E-Cubed são bens públicos globais. Além disso, a INEE colabora com a Journal on Education in Emergencies [Revista sobre Educação em Situações de Emergências] para fomentar a produção e a divulgação de bens públicos globais.

Princípio 3 em ação: O E-Cubed publica todos os produtos de conhecimento em formatos de código aberto. O E-Cubed está empenhado em oferecer produtos de conhecimento acessíveis a todos, livres de barreiras económicas.

As evidências devem ser partilhadas de forma acessível, o que inclui, mas não se limita ao uso de recursos visuais, estilo de escrita, linguagem e formato. A INEE e a Dubai Cares apoiam a produção de evidências através de modalidades alternativas além dos tradicionais artigos académicos revistos por pares, para reconhecer diferentes formas de aprendizagem e conhecimento. As evidências não devem incluir jargão complexo e evitar serem altamente académicas, quando possível. 

Princípio 3 em ação: O E-Cubed partilhou novos resultados em vários formatos, incluindo apresentações de webinars, vídeos, relatórios e blogues. Um desses webinars foi alojado via VCIES 2020 (uma gravação pode ser encontrada aqui). A INEE serve como um centro de curadoria e divulgação de conhecimento para assegurar que os bens públicos globais gerados a partir do E-Cubed sejam acessíveis e utilizados pelos membros globais da INEE. O E-Cubed está empenhado em encontrar modos alternativos de partilha de produtos e novos conhecimentos, para serem acessíveis a todos.

As partes interessadas, em todos os níveis dos sistemas educativos, utilizam e informam dados e evidências. Os dados e as evidências devem ser relevantes e utilizáveis por todos os intervenientes, com fortalecimento de capacidade, quando apropriado e necessário. Os intervenientes, particularmente a nível nacional e local, devem informar acerca da identificação de lacunas de conhecimento e da necessidade de dados e evidências. 

Princípio 3 em ação: Embora o E-Cubed não financie o desenvolvimento de competências operacionais, a longo prazo, sem o componente de pesquisa, são incentivadas propostas que integrem oportunidades de desenvolvimento de competências no processo de conceção de investigação e parcerias. A INEE e a Dubai Cares reconhecem que continuam a existir lacunas na utilização e na produção de dados pelos intervenientes em todo o sistema educacional, com poucas iniciativas de reforço das competências. Concretamente, pode ser feito mais pela comunidade de EeE para melhor apoiar e garantir que os ministérios da educação estejam focados na identificação de evidências e na necessidades de dados. Alguns projetos financiados pelo E-Cubed desenvolvem parcerias com ministérios da educação e outros agentes relevantes a nível governamental, desde o início dos projetos, para assegurar que a identificação de evidências e as necessidades de dados sejam relevantes. Eliminar esta lacuna é um foco de trabalho futuro.


Incorporando os princípios

Refletindo sobre o conhecimento adquirido pelo E-Cubed ao longo dos anos, a INEE adotou e alargou estes princípios como uma estrutura orientadora para uma estratégia de evidência mais ampla. A INEE incorpora estes princípios nos seus vários espaços e atividades de rede. Estas áreas abrangem fases do processo de investigação, incluindo a identificação de lacuna de evidências, a recolha de dados, a produção de evidências e a divulgação de novos produtos de conhecimento.

 Embora estes princípios guiem o E-Cubed, eles não são definitivos. A INEE e a Dubai Cares continuam a refinar e repetir estes princípios orientadores para refletir sobre novo conhecimento e perspetivas emergentes do campo da EeE, dos setores humanitário e de desenvolvimento em geral. Recomendamos que as organizações adotem princípios orientadores, mas que não se tornem inflexíveis ou dependentes de um cumprimento rigoroso que impeça mudanças institucionais.

Se tiver perguntas, entre em contacto com a Coordenadora de Dados e Evidências da INEE através do e-mail evidence@inee.org.


Agradecimentos 

A INEE gostaria de agradecer à Dubai Cares por seu apoio contínuo na procura de evidências para a EeE no financiamento de bens públicos globais rigorosos, contextualmente relevantes e utilizáveis, ​que são conduzidos ou notificados por parcerias de investigação equitativas com as partes interessadas, em contextos afetados por crises. Estes princípios foram desenvolvidos em parceria pela INEE e pela Dubai Cares, com um agradecimento especial a Nadeen Alalami, responsável pela investigação da Dubai Cares.

 

Autores:

Nadeen Alalami, Diretora de Pesquisa, Dubai Cares. Nadeen gerencia uma carteira diversificada de programas de investigação e divulgação da Dubai Cares, com foco na educação em situações de emergência (EeE). Gere as verbas de investigação E-Cubed, um fundo de investigação de US$ 10 milhões que visa fortalecer a base de evidências em EeE, apoiando as pesquisas contextualmente relevantes e utilizáveis e divulgando bens públicos globais. Nadeen é licenciada em Psicologia pela New York University Abu Dhabi. Tem cinco anos de experiência na área de desenvolvimento internacional. Está baseada em Dubai, EAU. 

 

 

Sonja Anderson Sonja Anderson, Coordenadora de Dados e Evidências da INEE. Sonja é responsável pelo trabalho de curadoria e fortalecimento da base de evidências da EeE da INEE. Coordena os diversos fluxos de trabalho de evidências dentro da INEE. Gere também o Fundo de Investigação E-Cubed, incluindo o convite à apresentação de propostas, a designação de elegibilidade e os seus critérios e o processo de análise de propostas. Sonja obteve o Mestrado em Educação, na Harvard Graduate School of Education, em Política de Educação Internacional, e é licenciada em Relações Internacionais, pela University of San Francisco. Tem seis anos de experiência na área de EeE. Está sediada em Seattle, EUA.

Jonathan Kwok, Consultor de Evidências da INEE. Jon apoia o trabalho da INEE na curadoria e no fortalecimento da base de evidências da EeE. Atualmente, desenvolve pesquisa de Mestrado em Desenvolvimento Educacional Internacional com uma especialização em Questões Humanitárias Internacionais, no Teachers College, Columbia University. É licenciado em Estudos Internacionais, pela Pepperdine University. Tem quase cinco anos de experiência de trabalho com várias organizações de EeE e de desenvolvimento, tanto a nível global como local, em vários países. Está atualmente sediado em Nova York, EUA.